terça-feira, 22 de agosto de 2006

Preparativos para um novo ano lectivo

Até que enfim que chegou a hora dos professores poderem saber a escola para onde vão leccionar no próximo ano lectivo com tempo suficiente para prepararem as suas vidas, quer a nível familiar, como no âmbito profissional... Até este ano, as colocações só eram dadas a conhecer com dois ou três dias de antecedência, o que acarretava sérias dificuldades para muitos casais poderem organizar a sua vida pessoal. Mas, este ano verificaram-se melhorias nos concursos. Felizmente... A nível pessoal, já sei que nos próximos três anos lectivos ficarei na mesma escola onde estive este ano lectivo, o que me deixa contente por duas razões principais: por um lado, é a escola que fica mais perto de casa (65 Kms) e, por outro, gostei de ter lá leccionado este ano, tanto ao nível das condições materiais proporcionadas, como em termos humanos (confraternização entre colegas, ambiente discente e forma de trabalhar do Executivo)...
No entanto, a nível dos concursos, nem tudo foram rosas. De facto, temos ainda o caso de cerca de 8000 professores dos quadros que continuam sem saber para que escola vão trabalhar. É o caso da minha esposa que, apesar de pertencer ao QZP só em Setembro saberá para onde irá leccionar. Ora, como temos uma filha de 8 meses que iniciará o infantário no dia 4 de Setembro, não podemos ainda saber qual de nós ficará encarregue de a ir levar de manhã ao infantário e trazê-la à tarde para casa. Outras situações de carácter familiar estão ainda por resolver, por não sabermos para que escola é que ela irá dar aulas... Esta situação de desequilíbrio entre vagas a concurso e docentes efectivos com horário zero demonstra que ainda há muito por fazer no sentido de proporcionar um melhor início de ano lectivo para professores, pais e alunos.
Colegas meus de Português-Francês puseram-me ao corrente da situação vivida com os docentes deste grupo disciplinar. A ser verdade o que me contaram, não se percebe como se desaproveitam recursos humanos válidos e se contratam docentes que não seriam necessários se tudo tivesse decorrido de forma normal. E depois lá vem o défice orçamental...
Enfim, ainda há muito por fazer para que a colocação de professores seja um processo banal, sem complicações e propício a um começo de ano lectivo estável e eficaz.

5 comentários:

IsaMar disse...

Oi...
Pois lamento a situação da Salete..não é uma realidade muito agradável..mas com o tempo tudo se resolverá.
Infelizmente há muitas lacunas .

beijinhos para todos

fiquem bem

Arte por um Canudo 2 disse...

Embora com algumas coisas a rectificar o concurso de colocação de professores parece ter mais estabilidade.Ainda bem que assim é...abraço e boa sorte no novo ano.

Professorinha disse...

Bem, veremos como corre este ano, ainda bem que ficaste na mesma escola, é sempre bom continuar na mesma escola pois a postura dos colegas para connosco já é diferente. Fiquei a 55km de casa, com muitas curvas e tal, mas pronto. Tu consegues adivinhar a escola, não é?Demoro um pouco menos de uma hora a chegar lá. Foi a minha 4ª escolha. Não gostei do espaço físico pois venho habituada doutro género de escolas lindas e novas, mas vou ver se me habituo. Não está a ser fácil para já pois acho que vou ter imensas turmas ao contrário do que se passava na Madeira.

Boa sorte para a tua esposa!

henrique santos disse...

Boa sorte e um bom ano lectivo, é o que te desejo.

AnaCristina disse...

Confesso que já considero muito bom as colocações terem saído a meio do mês.
Bom ano lectivo