sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Antes das aulas, o muito trabalho que muita gente esquece que existe...

Por estes dias a conversa que tenho com os meus amigos que não são professores bate sempre na mesma tecla:
"Então, o trabalho só começa para a semana, não é?".
"Não há nada como a vida de professor, de férias até meados de Setembro...".
Quando me vêm com estes comentários tenho que me desdobrar sempre em explicações sobre o muito trabalho que existe antes de começarem as aulas com os alunos. Mas, mesmo assim, existem renitentes que parecem ter um qualquer ódio de estimação pela profissão docente.
Durante esta semana, o trabalho burocrático foi, de facto, muito e moroso. Para além de várias reuniões (geral de professores, de departamento, de grupo disciplinar e dos cursos profissionais) e de dois conselhos de turma que têm alunos com Necessidades Educativas Especiais, houve ainda o extenso trabalho de preparar as planificações anuais de cada uma das disciplinas que lecciono. E este ano vão ser quatro disciplinas: geografia no ensino regular ao 9º e 11º anos, geografia no ensino profissional, área de integração no ensino profissional e ainda cidadania e mundo actual a um curso de educação e formação. Houve ainda a tarefa de elaborar os testes diagnósticos para as turmas do ensino regular. Como vou ser Director de Turma tive ainda que recolher os processos individuais dos 21 alunos que vou ter a meu cargo, para além de preparar as três reuniões que vou ter segunda-feira com os alunos, os respectivos Encarregados de Educação e os professores da turma. Ah, e não se esqueçam que houve ainda que preparar as aulas da próxima semana...
Portanto, trabalho foi algo que não faltou durante esta semana...

1 comentário:

IsaMar disse...

LOL, LOL Como te compreendo Pedro. em todo o lado eu ouço a mesma coisa.
Ninguem sabe que temos que organizar reuniões, fazer anamneses dos alunos, planificações, avaliações nos períodos não lectivos...
A classe docente é a mais desvalorizada de todas as profissões. Infelizmente é assim.