sábado, 21 de novembro de 2015

O fim dos exames no 4º ano. Chegou o facilitismo socialista...

A esquerda negativa que tem a maioria parlamentar começou a dar de si. Ainda nem sequer estão no Governo mas, já agem como se lá estivessem. Uma das primeiras medidas que resolveram aprovar no Parlamento tem que ver com o fim dos exames no 4º ano. Nem sequer pelo fim do ano lectivo esperaram e, em pleno decurso do 1º período, quando o calendário escolar já está aprovado para todo o ano escolar, eis que a esquerda brada aos céus: "Este ano os meninos do 4º ano já não vão fazer exames"! Olhem que rico exemplo estão a passar às crianças. É o facilitismo esquerdista em todo o seu esplendor...
Políticos nada visionistas e que apenas querem mudam por mudar. É o que temos vistos nos últimos 40 anos de democracia em Portugal, ao nível da exigência. O PSD constrói, o PS destrói, o PSD volta a construir e o PS volta a destruir. Como pode a Educação em Portugal viver num clima de estabilidade com este tipo de estratégia destrutiva da esquerda portuguesa? A procura de consensos é nula...
E que exemplo estamos a dar aos nossos alunos? Os miúdos do 4º ano e que pensavam que iam ter exames no final do ano deverão ficar todos contentes. Lá vão relaxar. Os do 5º ano que tiveram de fazer exames no ano passado irão ficar defraudados, numa espécie de injustiça que lhes fizeram. Os do 3º ano, cujos professores já lhes iam falando nos exames nacionais, vão esfregar aos mãos de contentes. Enfim, é a imagem do facilitismo que passa.

4 comentários:

Anónimo disse...

Não deixe que a cor política lhe tolha o raciocínio.
maria

Anónimo disse...

Não queira fazer crer que é por se medir muitas vezes a temperatura que se faz baixar a febre. Exames em maio, com sobressaltos estranhos no 3º período, deixando as crianças baralhadas entre o acabou/continua, perturbando alunos, professores e pais, é uma mistificação desnecessária. Sobre facilitismo "anti-socialista" é basta olhar para os cursos vocacionais, especialmente aqueles que concentram miúdos de 3 anos de escolaridade, com o objetivo de os empurrarem para fora do sistema...

Agnelo disse...

Nos dois anos em que houve exames, a taxa de sucesso do 4.º ano aumentou.
Com os exames a pesarem 30%, nenhum aluno reprova POR CAUSA dos exames. Pode é transitar POR CAUSA dos exames.
De qualquer forma, a maior virtude destes exames não é a de avaliarem alunos, mas de permitirem às escolas uma aferição credível do trabalho realizado em cada turma.
É por isso que, na nossa escola, manteremos o "exame".

4Brain Centro de Estudos e Explicações disse...

Aqui no centro os pais dividem-se... Uns pelas facilidades e outro pela diminuição da aferição.

4Brain Centro de Estudos
www.4brain.pt