segunda-feira, 9 de outubro de 2006

A voz aos alunos

O actual estado da Educação em Portugal está envolto num clima de extrema ambiguidade: por um lado, temos a tutela que, de forma assídua e decidida tem apostado na implementação de um conjunto de medidas que visam alterar, por completo, a situação de insucesso e desconforto a que se chegou; por outro lado, temos uma classe docente amordaçada a uma imagem de total desprestígio e que é vista, aos olhos da opinião pública em geral, como detentora de privilégios que são negados aos demais trabalhadores do sector privado. Temos ainda uma minoria de pais que se fazem representar nas escolas de forma bastante activa, mas que se mostram incapazes para arrastarem consigo aqueles pais que, na prática, mais interessava que fossem à escola saber da postura dos seus filhos (reporto-me aos encarregados de educação dos alunos com piores avaliações). Finalmente, e no meio desta confusão toda, falta falar daqueles para os quais todas estas discussões deveriam dar resultados: os alunos...
Ora, ao contrário do que muita gente pensa, há na actual juventude portuguesa, sobretudo daqueles que têm idades entre os 15 e os 18 anos, uma parte significativa de rapazes e raparigas que sentem falta de se fazerem ouvir e exprimirem as suas opiniões. Já alguém questionou os alunos sobre o que pensam acerca da (falta) de pertinência de muitos dos actuais currículos, ou a propósito das vantagens decorrentes da introdução das actividades de substituição, ou ainda da forma como o ensino está organizado? Poderão os alunos dar a sua opinião sobre a forma como os professores devem ser avaliados? E sobre os chamados TPS`s? O que dizem eles?
Pois bem, deixo aqui os comentários feitos pelos alunos de uma turma minha do ensino secundário a propósito do actual estado da Educação e que, através da dinamização de um blogue deles, pretendem fazer ouvir a sua voz. É que esta não tem de ser uma geração (à) rasca!!!

6 comentários:

henrique santos disse...

"temos a tutela que, de forma assídua e decidida tem apostado na implementação de um conjunto de medidas que visam alterar, por completo, a situação de insucesso e desconforto a que se chegou"

isto é um elogio rasgado à tutela, não é?
Pois, visam alterar por completo a situação! Para melhor?

Miguel disse...

Caro Henrique, a minha afirmação seria um elogio rasgado à tutela se tivesse escrito o seguinte: "temos uma tutela que, de forma séria, credível e justa, tem apostado na implementação de um conjunto de medidas que visam alterar, por completo, a situação de insucesso".
Ora, eu não afirmei isso. Bem pelo contrário. Utilizei o termo "assiduidade" porque todas as semanas chegam novidades do ME e o termo "decisão" porque raramente o ME tem voltado com a sua palavra atrás. Não são elogios. São evidências...
Agora, também não sou dos que pensam que tudo o que vem do ME é uma desgraça. Algumas medidas têm boas intenções e poderão dar bons resultados. Outras há que as condeno e aqui o tenho feito.
Fiz-me compreeender? Espero que sim.

IsaMar disse...

Oi...
Parabéns pelos vossos comentários no blog dos alunos de Geografia.
Nota-se que os alunos estão actualizados. Mostraram muito interesse em debater e afirmarem-se.
Fica bem e bom fim de semana

Professorinha disse...

acho sim que os alunos deveriam ser ouvidos sempre. afinal, a ministra não diz que está a fazer o melhor para eles?

Beijos

Arte por um Canudo 2 disse...

Sempre alertei nesse sentido de auscultarem os alunos para saber da sua opinião.Parece que só o que o senhor da CONFAP diz é que vale.Também me parece que existe todo um país autista que só pensa no seu umbigo e nada serve para verem que existe outras soluções. Interessante o que os alunos dizem só a ministra é que não quer saber o que eles pensam.Um abraço

Sara disse...

=)

Finalmente alguém que, para além de perceber que os alunos não são só os mal-educados ou desinteressados, também percebe que temos uma voz que sabe fazer críticas sem estarmos obrigatoriamente contra tudo e todos.