quinta-feira, 17 de novembro de 2005

Greves de alunos e professores...

Hoje, na escola onde lecciono, os alunos resolveram fazer greve e exigir o fim das aulas de substituição. Manifestaram-se toda a manhã por Lamego e até conseguiram fazer parar o trânsito... Não houve aulas para quase ninguém e das três turmas a que hoje teria que leccionar, apenas me apareceram 10 alunos de uma delas.
Amanhã será dia de greve para muitos professores como forma de protesto contra muitas das medidas tomadas por este Governo. No entanto, na minha escola, sei de casos de muitos colegas meus que aproveitaram a greve de amanhã para regressarem ainda hoje às suas terras de origem, antecipando, desta forma, o fim-de-semana. Não concordo com este tipo de estratégia. Isto não é fazer greve a sério... Greve a sério é ir à escola e aí manifestar-se ou aderir à manifestação que se realiza em Lisboa.
Eu cá não vou fazer greve. Quem costuma vir a este blogue já sabe a minha posição acerca deste assunto e a estratégia que defendo para que os professores possam "exigir" deste e de qualquer outro Governo maior respeito.
Entretanto, na minha escola, o ambiente entre alguns professores e o Conselho Executivo vai de mal a pior. Desta vez, tudo se ficou a dever ao facto de ter passado uma circular do Conselho Executivo pelos professores a informar que não serão aceites faltas justificadas ao abrigo do artigo 102º no dia de greve...

6 comentários:

Patricia disse...

Os alunos tentam manifestar o seu desagrado em relação às aulas de substituição.
Em relação ao dia de amanhã é bem provável que a maioria dos professores aproveitem o dia de greve para prolongar o fim de semana... Também não concordo com este tipo de greves, mas a culpa é do facto de as greves serem às 6as feiras. Bjs

IC disse...

Só um esclarecimento sobre a circular do CE: não vale a pena os professores perderem tempo a guerrear com o CE: é uma circular absolutamente ilegal, qualquer entidade, o próprio sindicato da zona, o esclarecerá. Se é para evitar aqueles casos que infelizmente há de quererem parecer fazer greve para depois usarem o 102, O CE pode, sim, exigir o cumprimento exacto da lei quanto aos prazos de comunicação da falta pelo artigo 102.

Anónimo disse...

Também penso que a greve não deveria ter sido marcada para uma 6ª feira, mas foi! Para um/a Professor/a que esteja a 300 ou 400 kms da sua área de residência, que tenha filhos a frequentar o ensino público e cujos professores também trnham aderido à greve, parece-vos tão incompreensível que se tenha deslocado umas horas mais cedo para a sua residência e para junto dos filhos dos quais se vê afastado durante toda a semana?

Manuela T.

Anónimo disse...

nao sei para que raio estas procupado com a circularzita..a tua ministra ate deve de concordar com a forma como foi feita...nao vejo qual a diferença de uma greve à 6ª, à 4ª ou ao domingo...julgo que o dia nao interessa mas sim o objectivo da greve..de qualquer forma somos todos uma cambada de incompetentes e e faltosos que so queremos boa vida..a Luz esta no ministerio...so ideias iluminadas...principalmente na forma como as aplicam..

prof com letra pequena

alyia disse...

"Isto não é fazer greve a sério..."

Por acaso também concordo contigo.

"Quem costuma vir a este blogue já sabe a minha posição acerca deste assunto e a estratégia que defendo para que os professores possam "exigir" deste e de qualquer outro Governo maior respeito."

Como é a 1ª vez que venho a este blog, não sei qual é a tua opinião. Mas uma coisa eu discordo: que as greves sejam sempre marcadas para 6ª feiras dando a ideia nitida que apenas se está a prolongar o fim de semana.

Quanto às medidas do ministério, entendo que muitas não são as melhores e principalmente que deveriam ter sido discutidas (ou melhor explicadas) no entanto outras existem que concordo em absoluto.

Isabel disse...

Bem...

Eu não concordo que as greves sejam realizadas à 6 feira. deveriam ser feitas a meio da semana para haver maior manifestação...contestação. Assim evitariam-se os fins de semana prolongados e não julgavam tanto os professores e levavam-nos mais a sério.
Penso que há muitos professores que não pensam na sua profissão, no estatuto docente mas em si proprios, na sua vida. Daí talvez tambem uma causa do insucesso escolar...a ausência de empenho, acomodando-se à sua vidinha e venha "o dia 25".
Falas também em greve dos alunos devido as aulas de substituição. Penso que aqui eles tb sentem que o professor que vai substituir deve-se sentir sem "norte" e está ali para entreter. Quando não havia professor de substituição eles tinham feriado e iam brincar...não sei o que será melhor!? se é estarem um pouco libertos ou estarem numa sala obrigados com um professor desconhecido a entrete-los durante 1 hora. Seria uma ideia excelente se esse professor fosse colega do que se ausentou e trabalhasse com ele com essa turma.

bem fica bem