sexta-feira, 11 de novembro de 2005

Uma medida difícil, mas necessária...

O Ministério da Educação apresentou hoje aos sindicatos de professores uma proposta que prevê que as colocações dos docentes dos quadros de escola e de zona pedagógica devem ter uma periodicidade plurianual de 3 e 4 anos segundo o nível de ensino abrangido.
Esta é uma medida que, a ser concretizada, deixará muitos docentes satisfeitos, enquanto que outros ficarão resignados e contrariados na sua função docente, com prejuízos elevados nas suas vidas aos níveis familiar, emocional e financeiro.
No entanto, em termos gerais, podemos afirmar que os alunos serão os grandes beneficiados com esta medida, visto que é provável que haja um reforço da estabilidade do corpo docente de muitas escolas, com óbvias vantagens em termos do desenvolvimento de projectos educativos mais coerentes e de maior alcance, ao mesmo tempo que o processo de ensino-aprendizagem poderá efectivar-se de forma mais estável e com melhores resultados pedagógicos.
Muitos professores sairão com as suas expectativas defraudadas por terem de leccionar durante 3 ou 4 anos longe das suas casas e famílias, enquanto que outros que agora estão contra esta proposta até poderão ficar satisfeitos com os resultados das colocações plurianuais e, assim, até mudarem a sua opinião sobre a referida medida. Eu próprio que, este ano lectivo, estou a 70 Kms de casa, tendo que fazer 140 Kms todos os dias, poderei ter de ficar durante os próximos 3 anos numa escola a mais de 120 Kms de casa. Mas, é impossível agradar a todos... Assim, visto que são os alunos quem mais beneficiam com esta proposta, não posso deixar de concordar com o conteúdo principal desta medida. No entanto, esta proposta deveria ter sido acompanhada de outras medidas que pudessem beneficiar os professores que estão longe das suas casas e que necessitam que as suas escolas tenham condições, no mínimo, razoáveis para que a motivação de professores e o sucesso escolar andem juntos nas nossas escolas. Pena é que os docentes que ficam longe das suas famílias de 2ª a 6ª feira (outros há que estão várias semanas fora de casa!) tenham que se desenrascar por escolas que não lhes oferecem as melhores condições para exercerem condignamente a sua profissão...

4 comentários:

Patricia disse...

Esta medida ainda vai dar muito que falar, pois irá beneficiar alguns professores, mas outros pelo contrário, saírão muito prejudicados.
Os alunos a meu ver, também não irão aceitar muito bem esta medida, porque há sempre aqueles que não simpatizam muito com um professor e esperam no próximo ano lectivo encontrar um novo docente.
É também mau para os professores do 1º ciclo que se encontram sozinhos numa escola isolada a leccionarem aos quatro níveis.
Tenho as minhas dúvidas acerca desta medida seguir em frente...
Bom fim de semana!

Marco disse...

E quando um professor é colocado numa escola onde não quer estar? Isso é muito benéfico para a aprendizagem...

AnaCristina disse...

A ideia deles é porreira... mas têm que assegurar a mudança para salvaguardar as situações diferentes.
O aluno não gostar do professor não e argumento mas o professor estar longe de casa sem direito a aproximação é um argumetno fortíssimo!

Isabel disse...

Olá
Tudo tem vantagens e desvantagens.
a ideia é excelente para os alunos e quadros de escola mas poderá ser má para os docentes que fiquem longe de casa ou que não tenham um bom relacionamento com o corpo docente ou outros.

Para os Pais e alunos sem duvida serão benficiados não irão ter que fazer novas adaptaçoes, mas terão uma continuidade. Penso que haverá maior e mais confiança e dai mais sucesso escolar de que tanto falamos.

o tempo dirá...

bjs