quinta-feira, 6 de março de 2008

A pergunta da Sr.ª Ministra: qual é a alternativa? Eis a minha resposta...

Em entrevista à RTP1, a Ministra da Educação, questionou por várias vezes a jornalista Judite de Sousa com a seguinte expressão "Qual é a alternativa?"
Pois bem, a alternativa, neste momento, poderá residir no aperfeiçoamento do actual modelo de avaliação de desempenho dos professores. E esse aperfeiçoamento terá, porventura, que se basear, desde já, no adiamento do processo de avaliação dos professores contratados para o início do próximo ano lectivo, com as regras e pressupostos estabelecidos logo desde Setembro e não a meio deste ano lectivo. Depois, há que alterar os parâmetros definidos no actual modelo de avaliação que possam suscitar situações de injustiça e desigualdade entre professores, pois, não tenhamos dúvida que, com este sistema, não é indiferente leccionar numa escola de uma vila do Interior ou numa escola de elite de uma cidade do Litoral, assim como não é indiferente leccionar numa escola com três dezenas professores ou numa escola com mais de cem docentes. Vejamos um exemplo da insensatez deste sistema: permite que um docente exigente e rigoroso com os seus alunos e que, por isso, não consiga obter melhorias significativas nos resultados dos seus discentes não seja bonificado na sua avaliação, viabilizando, no entanto, que um professor menos cuidadoso e mais irresponsável (e não serão poucos!) que não se importe de inflacionar as notas dos alunos possa ser beneficiado na sua avaliação. É injusto... Mas, poderia dar outros muitos outros exemplos das injustiças deste modelo...

1 comentário:

Professorinha disse...

A alternativa pode também passar por aplicar este modelo de avaliação em algumas escolas e no fim avaliar os erros e melhorar!

Mas eles querem implementar isto à força!!!