sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Uma história de arrepiar...

Hoje, enquanto preparava na sala de professores uma ficha de avaliação para as minhas turmas do 9º ano, a Directora de Turma de uma dessas turmas chegou-se perto de mim e disse-me que queria contar-me uma situação que tinha ocorrido com ela durante uma das sessões de tutoria com três alunas da sua turma.
Contou-me então que na última sessão de tutoria tinha estado a preparar as três alunas para o teste de História. Questionou as alunas sobre a localização geográfica da Rússia. No globo terrestre que havia levado para a tutoria nenhuma das alunas conseguiu localizar esse enorme país. Assustada com a situação pediu então às alunas que localizassem Portugal no mundo. Nenhuma foi capaz de o fazer!!! Relembro: alunas do 9º ano de escolaridade!!!
Ficou então quase em estado de choque e resolveu vir contar-me a história, sabendo que já sou professor de Geografia de uma das alunas desde o 7º ano. Não me admirei com a situação já que tenho da aluna a clara convicção das extremas dificuldades da mesma. Ao chegar a casa fui analisar as avaliações que lhe dei nos 7º e 8º anos e verifiquei que sempre dei nota 2 à aluna e que a mesma transitou no passado ano lectivo com cinco níveis negativos à custa do preenchimento de umas grelhas que permitem a passagem de ano de forma algo burocrática e administrativa. Quem é professor sabe do que falo.
Depois temos resultados deste género: melhoria do sucesso educativo para as estatísticas e do agrado do Ministério da Educação, mas o desbravar de um rumo perigoso e enganador, assente no crescente facilitismo e no abaixamento do rigor e seriedade científicas...

5 comentários:

Anónimo disse...

Uma história de arrepiar II...
Também eu tenho uma "história" parecida.
A professora de História veio toda indignada falar comigo porque os alunos não lhe sabiam dizer a capital da Grécia.
Eu não sei mais o que fazer. Alunos do 7º ano não sabem localizar a Península Ibérica e no teste à questão onde deviam responder ex. de ilhas que fossem países europeus, responderam Portugal. Das duas uma: ou estes alunos não leem o que escrevem, ou então, numa visão futurista, já imaginam Portugal isolado do resto da Europa. Se calhar até tem razão, a ver por alguns indicadores sociais e económicos o país está cada vez mais a afastar-se do resto da Europa.
Zé Augusto

Bikerdude disse...

Apenas uma pequena questão relativamente a este post.
Refere que a aluna transitou de ano administrativamente.
Considerando que a aluna possuía 5 negativas, porque é que esta situação foi equacionada e aceite na reunião?
Confesso a minha ignorância neste aspecto, mas presumo que para uma passagem admninistrativa tenha de existir um consenso ou pelo menos uma maioria entre os vários professores presentes na reunião.
Estarei errado?

Peixoto disse...

Bikerdude, agradeço-lhe a questão formulada.
Afirmei que esta foi uma passagem "algo burocrática e administrativa", porque os alunos do 8º ano de escolaridade sabem, no início de cada ano lectivo, que não devem ter mais do que três níveis negativos, caso queiram passar de ano. Essa é como que a regra do jogo!
Ora, estando na pauta a passagem de ano da aluna com 5 níveis negativos, assente num qualquer decreto-lei de base administrativa e burocrática (não o sei de cor), temos como que uma espécie de forma de tornear as "regras do jogo" estabelecidas com os alunos no início do ano lectivo. Isso leva a que outros alunos entrem no esquema de tentarem transitar de ano da mesma forma: à espera que os seus professores recorram a este processo, na minha opinião, deveras facilitista e injusto.
Devo apenas dizer que na votação da passagem ou não de ano da referida aluna, votei contra a sua transição de ano de escolaridade.
Mas, é com este género de "subterfúgios" que se conseguem mascarar as estatísticas da educação!!!
Assim vai o nosso ensino!

Anónimo disse...

Sou professora de Geografia e também já tive casos(vários) deste género!
Enfim... ;(

Anónimo disse...

Eu zou aluna do 7º ano e zei muito maiz do que uma aluna do 9º ano e acho inadmissivel uma aluna não saber localizar esses países ainda para maiz Portugal...

Bjz*