quinta-feira, 12 de janeiro de 2006

Colocações: uma questão de sorte???

As novas regras estabelecidas para as colocações de professores, aprovadas hoje em Conselho de Ministros, têm gerado, por parte da comunidade docente, em geral, um sentimento de angústia, muito por culpa, das consequências que o novo regime de concursos poderá ter para as famílias daqueles que são professores...
De facto, se parece incontestável a melhoria em termos de estabilidade do corpo docente das escolas que este novo regime de colocações propícia, já no que concerne à motivação dos professores as dúvidas crescem. Digo isto, porquê? Porque ter de ficar afecto a uma escola durante três ou quatro anos longe da área de residência acarreta problemas familiares que, muitas vezes, se repercutem na vida profissional.
Ora, a questão que se coloca é a seguinte: porque foram definidos três anos e não dois, cinco ou sete? A lógica dos ciclos de ensino não pode ser a resposta, dado que, não é certo que os professores sigam com as mesmas turmas ao longo de vários anos seguidos. Se essa for a resposta então o Ministério da Educação deveria legislar nesse sentido... Quem é professor sabe do que falo...
Assim, e apesar deste novo regime de colocações de docentes poder vir a beneficiar alguns professores, sou levado a defender que o mais consensual seria que, quem quisesse ficaria na escola que lhe caberia em sorte durante esses três anos, mas quem ficasse prejudicado poderia voltar a concorrer no ano seguinte... A forma de operacionalizar esta solução é que não seria fácil.

4 comentários:

Dishti disse...

Lá isso tens razão muitas familias vão fikra bué de descontentes e dpois o governo ainda sekeixa das greves e manifestações k se fazem atoda a hora, isto está cada vez pior. Se tds os anos é sempre a mesma coisa, em relação a colokações pk muitos profs fikam longe a sua área de residência...n sei se aguentrão 3 anos longe de casa?alguns percorrem kilómetros, e apesar de o ordenado ser mais ou menos certamente k nesses anos n irão amealhar nenhum...
já estou a imaginar os profs a entra em depressão é uma medida k n está a ser bem pensada....a ver vamos no k dá.
Jinhs para ti, Salete e Diana.
De Dishti.

Paula disse...

Cada vez que penso no nosso sistema de ensino, querido amigo, so me vem uma coisa à mente: abolir tudo o que está instituido e recomeçar do zero!
É quase impossivel leccionar no meio de tanta insatisfaçao, instabilidade e revolta!
Mas enfim...so o governbo não vê isso!
JOcas para os papás babados e para a princesa Diana.

SaltaPocinhas disse...

felizmente já me safei dessa dança dos concursos (ao fim de VINTE E QUATRO anos de serviço) mas à primeira vista parece-me injusto por ser obrigatório. Podiam antes voltar ao antigo sistema de "recondução" que não gera injustiças de for quebrado de 3 em 3 ou de 4 em 4 anos. E só ficaria na mesma escola quem o desejasse mesmo!

ISABEL disse...

Olá Pedro

Eu tb não concordo com as novas regras....haverá muito mais descontentes.

Não sei onde iremos parar com tantas confusoes...

Mas como dizes ...veremos!

fica bem e beijos para os Papás.