segunda-feira, 16 de janeiro de 2006

O poder da televisão na (má) Educação...

No último fim-de-semana foram divulgados os resultados de um interessante estudo realizado no âmbito de uma tese de mestrado, segundo o qual a grande maioria dos adolescentes (78%) tem conhecimento da realidade mundial e dos problemas ambientais através do que a televisão lhes mostra. Segundo a investigadora da Universidade Católica de Lisboa, "a televisão pode ser vista como um aliado na escola, como meio de demonstração, que pode tornar a matéria mais apetecível", dado que a percepção que os adolescentes têm da realidade se faz mais pela televisão do que por outro qualquer outro meio.
Ora, a constatação que retiro das minhas aulas de Geografia é que a matéria leccionada pode muito bem ser auxiliada por recurso a outros meios que não só o manual... De facto, o conhecimento que os alunos têm do mundo advém muito mais do que os noticiários televisivos lhes "servem" à hora de jantar, do que pela leitura de jornais ou das conversas que os alunos possam ter com os seus pais ou familiares. Por outro lado, há uma circunstância que faz assustar qualquer professor: os adolescentes de hoje raramente assistem a documentários ou reportagens de interesse, sendo arrastados pelo vício dos desenhos animados e das telenovelas ou filmes, com resultados mais que óbvios.
É por essa razão que, cada vez mais, tento incutir nos meus alunos o gosto pela leitura e análise das notícias de jornais, dado que a televisão implica uma leitura do mundo numa postura muito mais passiva e menos interventiva, do que aquela que os jornais proporcionam. Por outro lado, todos sabemos do sensacionalismo com que muitas vezes as televisões se deixam embalar, desvirtuando com alguma regularidade a realidade dos factos. Os noticiários da TVI são um bom exemplo de como não se devem "servir" as notícias...

3 comentários:

Zé Augusto disse...

Não posso estar mais de acordo contigo. Aliás o estimulo por outros materiais que não o manual torna as aulas mais interessantes e mais apelativas para os alunos. Pena é que não haja o equipamento necessário em todas as salas. Nunca imaginei que mesmo numa cidade (onde apesar de tudo ainda continua a haver um mais fácil acesso à informação e à tecnlogia)uma apresentação em power-point ou um documentario em video cause tanto fascinio nos alunos. Ha muita coisa que não vem nos manuais e que atraves destas tecnologias conseguimos fazer com que os alunos as percebam e as comecem a interiorizar.

Dishti disse...

Tnes toda a razão, eu em relação aos telejornais, n vejo muito...gosto de ver documentários e de ler tb...
Tb sou da opinião k os realitis shows k se fazem hoje em dia na tv, n são nd mais k por x maus exemplos,maeiras de se mostrar o k há de menos bom...raramente se fala nas televisões sobre o k se faz de bom, mas fala-se muito de o k há de mau na soceadade em geral, certamente k se averiguassem mais veriam k há muita coisa boa escondida.
Jinhs de Dishti.

pri disse...

Priscila
Concordo que a Televisão esteja "engessando" a mente de todos que dela tiram proveito, sendo que não conseguimos mais tirar este "beneficio" deles.
Sendo assim como instigar este estimulo bom na sala de aula se a ideologia abate até quem deveria ter dissernimento do - Bom e Ruim- estou interessada em fazer minha tese neste assunto, mas como é no ensino d eLingua portuguesa preciso de um foco que talvez será o inicio da mudanca de visao dos educadores frente a este problema que pode virar a solucao na sala de aula. Priscila