terça-feira, 3 de janeiro de 2006

Novas rotinas com noites (muito) mal dormidas...

A Diana já vai com oito dias de vida fora do ventre da mãe e, cá por casa, o corrupio tem sido enor-me, com a impossibilidade de fazer grandes projectos a lon-go prazo. Há que viver cada dia de cada vez, pois a presença de um novo elemento na nossa família alterou por completo as rotinas estabelecidas.
A Diana ocupa por completo as nossas vidas e, por enquanto, estamos sempre de olho em cima dela. Ontem teve a sua primeira consulta na pediatra e as notícias foram boas. Tudo está bem com ela. Os problemas, se é que se podem chamar problemas, surgem à noite, pois, nos últimos três dias a nossa pequenota tem feito questão de não querer deixar os pais dormir duas horas consecutivas. Ora é a vontade de mamar que a faz chorar, ora é a não vontade de dormir que nos tem deixado com caras de cansaço e olheiras à vista. A mãe tem sido incansável e não lhe falta com nada... Mas, a alegria de ter uma filha supera todas estas pequenas contrariedades, pelo que quando a oiço chorar aos berros até fico, em parte, contente: é sinal de vida e de boa vitalidade...
Por enquanto ainda estou com os cinco dias de licença de paternidade, mas na próxima segunda-feira já terei que ir leccionar. Nem sei como será, caso a pequena Diana não me deixe dormir, nem que sejam pelo menos três horas seguidas. Lá terei, porventura, que começar a abusar um pouco mais dos cafés, como fazia nos tempos da faculdade.
Mas, o que me interessa mesmo é que a Diana está bem, veio encher (ainda mais) a nossa casa de alegria, os avós estão super-babados com a primeira netinha e a mãe tem-se portado maravilhosamente bem, não deixando que nada falte à nossa Diana. Eu ainda me atrapalho um pouco na hora de a fazer arrotar depois das mamadas, mas a mãe trata logo do assunto.
Entretanto, enquanto não recomeço com a vida na escola, resta-me desejar-vos a todos um bom 2º período de aulas...

8 comentários:

Paula disse...

Realmente, amigo....
É incompreensível que ambos os pais não possam desfruitar de momentos tão felizes e únicos!
Devias ter uma licença muito maior.
Será que o governo já alguma vez pensou que os casos de depressão pós-parto podem ser também causados pela auência do pai nesta termporada tanto feliz como trabalhosa e delicada? A mulherr precisa do suporte do seu companheiro nesta fase tão especial!
Considero uma crueldade, ser pai há tao poucos dias e ter de ir trabalhar... sair de casa e e ficar lá em pensamento todo o dia... o que até pode colocar em causa o desempenho profissional..mas....ninguém liga a isso.
O estado, as empresas são sanguessugas de seres humanos e fábricas de robots! Benditos aqueles que resistem a tal violência na nossa sociedade!
Felicidades, meus queridos.

Dulcineia disse...

Olá.muitos Parabéns pelo vosso rebento.Muita saúde para vocês.A Bébé é linda.Desculpa só agora te felicitar,mas tenho andado ocupadíssima e nem escrevo nem visito os blogs dos amigos..

Anónimo disse...

Governo prepara-se para fechar a escola secundária D. João de Castro já no próximo ano lectivo. A venda dos valiosos terrenos que a escola ocupa justifica a medida.

ISABEL disse...

OLÁ Pedro
desde já quero felicitar a Patricia pelo seu empenho...

POIS VêM OS FILHOS MUDA TUDO...

É SÓ UMA QUESTÃO DE ADAPTAÇÃO...
as noites...os choros...as doenças...etc...

uma dica que dou...durante a noite...quando a Diana chorar não vaiam sempre ter com ela...torna-se assim um hábito.
(desculpem-me não me levem a mal)

Outra coisa...o periodo de licênça de paternidade deveria ser maior.

Quando fores trabalhar....vais ter que ter muita paciencia... e voltar aos cafés...lol.

Mas a tua filha vale tudo.

bjs

Humberto Coelho disse...

Caros Amigos,
Análise Pós-Presidencial e cenário futuro no interior do PS em http://estaleiro.blogspot.com/ !!!
Obrigado pela atenção.
Felicidades...

Frederico disse...

Faço votos de muitas felicidades.
O nascimento do primeiro filho é profundamente marcante devido à percepção de que existe um ser desprotegido que necessita totalmente de nós para a sua presença no mundo.
Para além disso, a instabilidade emocional da mães nos primeiros dois meses, por terem perdido a "posse exclusiva" do seu rebento, terá que ser acompanhada com tanto amor como o rebento em si.

Hoje, pai de 3 filhos, sinto que é bom ter uma familia. E posso revelar que economicamente é mais barato ter três filhos do que um só!

Evite gastos superfluos! Há roupa, leites, e acessórios de bébé a um décimo do preço de "montra"!

SaltaPocinhas disse...

parabéns papá!

Dishti disse...

Td vai correr bem vais ver, no principio os bébés só comem e dormem tirando essas noites k aki em casa tb passámos...mal dormidas certamente ela terá cólicas??
Mas nd k uma massagem na barriguita n resolvão,e claro k as gotas milagrosas tb ajudam e muito.
Felicidades aos 3,jinhs.
Andreia e Tiago 23m.
São Pedro do Sul.